Encontro Gastronômico Baiano – São Paulo – Moqueca baiana

Na semana que passou tivemos mais uma edição de nossos encontros gastronômicos do orkut, juntando amantes da gastronomia, profissionais ou não, mas unidos pela amizade e gourmandise.
Cada integrante se prontificou a fazer um prato com a ajuda de todos os outros…quem não cozinhava, enchia os copos, arrumava a mesa ou ajudava na louça, mas todos na mesma sintonia e descontração.
Começando os trabalhados com nosso amigo Chef Cláudio Aliperti fazendo um acarajé pra baiana nenhuma botar defeito com vatapá, camarão seco e tudo mais…sensacional!!!
É muito legal ver várias técnicas sendo usadas juntas e ver os acarajés sendo aerados na hora e fritos de hashi…

Para embalar, cervejas, vinhos e caipirinhas, além de água de coco e sucos naturais para os não alcoólicos.

O Chef Milton Nisti desta vez não fez suas esculturas de alimentos ou gelo, mas nos prestigiou com um bobó de camarão maravilhoso, sem azeite de dendê nem leite de coco pois ainda teríamos a moqueca de peixe e camarão e farofa de dendê.

O Kilo trouxe este delicioso cuscuz paulista em homenagem ao Cláudio…

Esse arroz de coco quem fez foi a Lindô. Uma legítima e simpática pernambucana que trabalha na casa dos anfitriões. Feito em fogo bem baixo com leite do próprio coco extraído na hora.

Como os quiabos chegaram tarde para o acarajé fizemos uma salada de quiabo pra acompanhar…

A MOQUECA

Eu fiquei responsável pela moqueca e vou detalhar a receita que usei, sabendo que moqueca baiana é um prato popular e pode sofrer variações regionais.

Para esta moqueca utilizei:

2kg de badejo em postas (gosto de garoupa, robalo, cherne, enfim, peixes consistentes)
1kg de camarão cinza limpo
1kg de cebola
1kg de tomate
3 pimentões (1 verde, 1 vermelho e 1 amarelo)
1 maço de coentro
1 litro de leite de coco
150ml de azeite de dendê
Sal e pimenta do reino

Primeiro cortei todos os legumes em rodelas finas, piquei bem o coentro…

e temperei o peixe com sal, pimenta do reino e coentro picado.

Os camarões foram guardados para o fim do cozimento e os mariscos acabei usando como decoração.

A moqueca é um prato montado, como uma lasanha, que depois de pronto não se mexe. Primeiro uma camada fina de cebola pra não queimar o fundo da panela que preferenciamente deve ser uma moquequeira capixaba de goiabeiras. Essa moqueca é baiana, pois a capixaba não tem dendê nem leite de coco e é feita com urucum (colorau).
Depois da camada de cebola, vem o peixe já temperado e com um bom fio de azeite de dendê por cima.

Após o peixe, cobri tudo com mais uma camada de cebola, uma de tomate e por fim os pimentões coloridos com o coentro. Daí é ligar o fogo baixo, fechar a panela e esperar até começar a ferver criando líquido até cobrir os legumes.

…quando já estiver fervendo bem, uns vinte minutos depois, gosto de pôr metade do leite de coco. Muita gente coloca o leite de coco somente no final do cozimento, mas gosto de colocar metade antes para apurar o sabor.

Após mais alguns minutos, coloquei os camarões, os mariscos, o restante do leite de coco e fechei novamente a panela por 5 minutos. Agora é só servir!!!!

Para acompanhar, uma farofa de dendê com óleo de canola, um pouco de dendê, cebola, sal e farinha de mandioca. Infelizmente não foi com a farinha de Floripa, que é a melhor do Brasil, mas ficou muito bom!!!

A mesa ficou bem bonita e os pratos maravilhosos, mais um orkontro de sucesso!!!

A turma de capiaus ficou muito feliz e a festança estava feita.

De sobrema ainda teve fôlego para uma cocada de leite condensado feita pela Chef Sônia ‘”Chokomel” de Monte Verde…

E pastéis de banana com massa caseira feita pela nossa grande amiga Neide, servido com sorvete de creme. Nossa anfitriã Helô ainda nos serviu deliciosos chocolates, cajuzinhos nordestinos e cocada. Mais um encontro memorável.

Como estava sem a máquina fotográfica agradeço aos amigos Marcelo e Kilo, fotógrafos de plantão, pelas belas imagens.

andreleiras

Cozinheiro, blogueiro e viajante!!! Amo viajar, gastronomia e tudo que a vida tem de bom!!!

8 comentários em “Encontro Gastronômico Baiano – São Paulo – Moqueca baiana

  • 22 de maio de 2011 em 05:24
    Permalink

    e eu perdi mais essa oitava maravilha…. mereço mesmo dezenas d chibatadas…. ui… mas d leve kkkkkkkkkk

    bjs

    Dédaaaaaaa

    Resposta
  • 22 de maio de 2011 em 11:25
    Permalink

    Nada como uma boa ideia, rodeado de bons amigos!
    Parabéns amigos, ficou divino!

    Resposta
  • 25 de maio de 2011 em 05:04
    Permalink

    Que maravilha de comidas que dão agua na boca. Como boa baiana gostaria muito que tivesse a receita do acarajé. Bjos

    Resposta
  • 25 de maio de 2011 em 17:54
    Permalink

    Realmente foi um dia especial meus amigos.

    Lagarta, a receita da massa do acarajé é simples…feijão fradinho partido sem casca, hidratado e depois processado com 15% de cebola. Daí é só aerar a massa com a colher de pau e fritar em óleo vegetal + azeite de dendê… boa sorte rsrsrs

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *