Mori Sushi: de Cá e de Lá – Parte 2.0 – São Paulo

É claro que os dois Mori sushis visitados só se assemelham pelo nome, mas dentro de nichos diferentes os dois superam as expectativas em suas propostas. Enquanto o Mori da Califórnia busca uma degustação bem sofisticada de iguarias orientais, nosso representante brasileiro trabalha no sistema rodízio, aliás, sem dúvida o melhor rodízio de comida japonesa em São Paulo, em nossa opinião. É também um dos rodízios  mais caros, com serviço, cerca de 80 reais por pessoa…
A grande sacada nesse restaurante é sentar no balcão, pois você será atendido diretamente pelo sushiman que apresentará uma sequência quase exclusiva, de acordo com suas preferências e dos produtos de época disponíveis no momento, enquanto nas mesas os tipos de sushis e sashimis são limitados aos descritos no cardápio. Nosso lema é “nenhuma restrição”…

A espera média do balcão é de mais de uma hora, já que o restaurante não faz reserva, mas sempre, sempre vale a pena esperar, além disso, a sala de espera é ampla e aconchegante, com vários sofás e onde servem drinks enquanto esperamos um lugar.

Com uma decoração bem moderna, a casa é grande e atende a todos os tipos de clientes, inclusive com rodízio vegetariano, se informado antecipadamente.
Enquanto aguardávamos nosso lugar no balcão, pedimos duas caipirinhas de saquê, uma com lima da pérsia e outra de frutas vermelhas. No fim acabei tomando as duas rsrsrs

Infelizmente o Chef Daniel Hirata não estava no dia, pelo nascimento de sua filha, mas sua equipe mantém a qualidade dos pratos sempre que está ausente.
Devidamente instalados foram oferecidas as entradas, que vem desde os tradicionais missoshiro,  sunomono, guiozas e rolinhos primavera até trouxinhas fritas de salmão, lula e  peixe prego grelhados, este último muito saboroso. Pedimos duas, o sunomono que estavam muito crocante e saboroso, no ponto certo…

e um salmão recheado de cream cheese, coberto com shimeji e flambado no licor de laranja…nota 10,  que chega pegando fogo.

Enquanto isso o Luís, suhiman no comando nesta noite e que nos atendeu, preparava os primeiros dos diversos pratos que seriam servidos em pequenas porções mas em tanta variedade que teremos que fazer dois posts para não deixar nada para trás. Vai valer a pena cada foto.
Inicialmente nos serviram um carapau com gengibre e alho frito, tão fresco que o peixe estava inteiro e foi filetado na hora.

Logo em seguida veio um ceviche de dourada com cebola roxa, tomate cereja e crispy de mandioquinha, bem equilibrado e muito saboroso.

O próximo prato foi de sashimis de salmão e camarão com masago (ovas de capelin) e cebolinha, marinados no shoyu com suco de laranja… acho que a foto fala por si só…

Enquanto os pratinhos vão aparecendo, ficavam sempre disponíveis os sashimis que hoje eram de atum, salmão e tainha com masago. Aliás, é impressionante que mesmo vivendo meus primeiros 30 anos de vida em Florianópolis, cidade que pesca dezenas de toneladas de tainha a cada ano, fui conhecer o sashimi de tainha em São Paulo e o peixe crú é um espetáculo. Porque os restaurantes japoneses de Floripa teimam em servir peixes brancos congelados se possuem uma variedade gigantesca de espécies que poderiam chegar à mesa do comensal poucas horas depois de serem pescadas? No Japão a tainha é considerada peixe de baixo valor porque é pescada na baía de Tóquio totalmente poluída, mas a nossa é totalmente diferente e muito saudável.

Depois desse desabafo, vamos continuar com as delícias apresentadas na noite… um camarão empanado com molho tonkatsu extremamente crocante e sequinho…

E polvo grelhado na manteiga, selado por fora e bem macio por dentro…muito saboroso.

Logo depois veio este par de sushis de carapau…

…um par de nigiris de tainha com lâminas de limão…

…além de um par de nigiris de camarão com masago… 
Como o restaurante trabalha com rodízio, tem menor variedades de peixes e frutos do mar, comparado ao seu homônimo na Califórnia, até por apresentar propostas diferentes. A simplicidade do de LÁ torna a variedade de iguarias o grande destaque, enquanto no de CÁ a equipe supera facilmente essa limitação com muita criatividade.  E como ainda faltam mais de 10 tipos de sushis para mostrar vamos fazer isso no próximo post… aguardem que vale a pena…

Mori Sushi
Rua da Consolação, 3610 – Jardins, São Paulo
http://www.morisushi.com.br/

andreleiras

Cozinheiro, blogueiro e viajante!!! Amo viajar, gastronomia e tudo que a vida tem de bom!!!

4 comentários em “Mori Sushi: de Cá e de Lá – Parte 2.0 – São Paulo

  • 28 de fevereiro de 2011 em 04:33
    Permalink

    …até que não fizemos feio, ante as diversidades enfrentadas durante a semana das fotografias, por hora, muito obrigado (André Jurerê e Laura) por nos ter em tão alta estima.

    um forte abraço,
    Luis Carlos (Sushiman Chef do Mori Sushi)

    Resposta
  • 28 de fevereiro de 2011 em 22:16
    Permalink

    Grande Andre, Obrigado por ter me levado ao melhor restaurante Japones que já fui! Vai ser dificil ir em outros agora sem ter como base de comparação máxima o Morisushi.. Abs!

    Resposta
  • 2 de março de 2011 em 02:42
    Permalink

    Luis, fomos sinceros e isentos. O mérito do trabalho é da equipe do Mori. Gde abraço

    Jack, sempre que vir estamos aew. abç

    Resposta
  • 5 de março de 2011 em 02:26
    Permalink

    Tô passando mal aqui, amigo! Que delícia, que coisa mais linda…. Vocês vão ter que levar a gente lá, viu? Bjos

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *