O Mercado – Festival Gastronômico das Estações – Ibirapuera – São Paulo

Hoje fomos no Festival Gastronômico das Estações O Mercado, maior festival de rua da cidade de São Paulo feito pelos organizadores Checho Gonzales, Henrique Fogaça e Lira Yuri.

Desta vez o evento foi feito no melhor lugar de todos até o momento. O Modelódromo do Ibirapuera, um ambiente aberto, seguro e com uma boa estrutura de estacionamento e acesso.

O Mercado é um evento gastronômico gratuito que busca dar acessibillidade aos pratos oferecidos por chefs de restaurantes renomados. Os pratos variam de 5 a 15 reais e nas barracas apenas fichas eram aceitas. Compramos fichas em caixas nas entradas ou com vendedores que ficavam andando por dentro do evento.

Impossível provar as 63 opções oferecidas no festival, mas provamos o máximo possível e tivemos um dia maravilhoso entre amigos e boa gastronomia.
Resolvemos provar vários itens, dividindo sempre para poder provar o máximo possível. começamos pelo Acarajé da Dona Carmem Virginia.

Muito gostoso, veio com vatapá, camarão e vinagrete. Ótima forma de abrir os trabalhos gastronômicos de hoje.

Na barraca do Itaici Eventos de José e Thiago, porco no rolete da melhor qualidade.

Muita gente do ramo gastronômico estava no evento. Trabalhando ou passeando encontrei grandes amigos e chefs de cozinha, como o Chef Rafa Leão, chef do Ville du Vin em Alphaville.

Na Barraca do Checho, organizador e idealizador do evento, Arroz com chupe de Camarões.

Servido com uma crispy de batata doce perfeita, estava muito bom e foi servido com a pimenta mais capeta de todo o evento!!!

Outra barraca muito legal é a dos Chefs Especiais, maravilhoso projeto gastronômico de inclusão de jovens com síndome de down de Simone Berti e Márcio Berti.

Foi grande a satisfação em ver o querido amigo e Personal Chef Aimar de Paula ajudando na barraca dos Chefs Especiais e servindo um risoto de presunto parma, queijo brie e aspargos sensacional!!!

Não provei o Gnocchi do Chef Carlos Bertolazzi pois já trabalhei para ele em um de seus restaurantes e inclusive já servi este prato em alguns eventos. A barraca do Per Paolo estava sempre cheia e o gnocchi foi servido com ragú de fraldinha e fonduta de queijo. Era um dos pratos mais caprichados servidos na feira, uma refeição.

Foi muito bom ver grandes amigos que fiz no meio gastronômico. Pessoas que de uma forma ou de outra participaram e participam da minha evolução como cozinheiro. Um lugar que não poderia deixar de visitar era a barraca da Cannoleria do Alexandre Leggieri.

Já conheço o Leggieri à alguns anos e tenho uma grande admiração e respeito por esse Italo Brasileiro apaixonado por Cannolis, o tradicional doce italiano feito de uma massa frita em forma de tubo e recheada por vários sabores.

Já comi diversos cannolis do Leggieri, mas hoje a Laura provou o tradicional, feito de ricota, pistache e cereja. Maravilhoso.

Outra barraca que surpreendeu foi a do Alex Sotero do APC Brasil. O menu contemporâneo feito por espuma de caldinho de feijão feita no sifão com molho de pimenta e torresmo enroladinho…

… e sanduiche de barriga de porco sous-vide, cozida por 48hs  servida em pão francês com “cotton onions” e pikles caseiro, irresistível.

O sanduiche estava espetacular e prova que alta gastronomia pode sim se popularizar. A cultura gastronômica de um povo pode e deve evoluir junto com a evolução dos tempos. Isto não é perder a identidade, é sim ser livre e autêntico.

Mas a barraca que a Laura mais amou foi a Neka Mena Barreto da Neka Gastronomias. Tudo na barraca agradou.

Tanto que voltamos duas vezes lá para provar outros itens do cardápio. Na primeira vez, comemos um maravilhoso Vinagrete de Polvo. Quase um ceviche, com o polvo perfeito em sabor e textura.

Na segunda visita a barraca comemos uma “casquinha de siri”, com azeite de dendê e leite de côco estava maravilhoso, com certeza dois dos melhores pratos do dia.

Ainda pasamos uma terceira vez na barraca para comer um pudim de tapioca maravilhoso!!!

Mas ainda tinha muita coisa boa para conhecer e nem só de comida que se faz uma feira gastronômica. A barraca de cervejas artesanais de André Leme Cancegliero tinha inúmeras opções. Na barraca uma opção era “Surpresa”, que se trata da cerveja artesanal Sporro, que ainda nem foi lançada no mercado. Uma cerveja encorpada e picante que agradou muito!!!

Aproveitei para assinar um abaixo assinado para um projeto de lei que regulamente a comida de rua em São Paulo, que hoje infelizmente é proibida. Ainda bem que não acabaram também com o pastél de feira.

Em outra barraca de cervejas artesanais, o cervejário, pude provar a maravilhosa MaracujIPA da 2cabeças, uma American IPA com adição de Maracujá, sensacional!!!

A medida que a tarde chegava a feira ficou bem cheia, mas as filas eram rápidas e o espaço era super agradável. Só acho que faltaram mais barracas com a venda de água e refri, pois só tinha uma para toda essa gente.

Outro lanche espetacular, o Hamburguerr de cordeiro com queijo feta e maionese de hortelã no pão de cenoura do M.A.B. Gastronomia, um dos melhores também.

Na saída ainda provei o hot dog francês do Marcel, servido na baguete com salsicha frankfurten, queijo gruyere e molho bechamel.

O cachorro quente era gratinado e servido bem quente. Na bancada, mostarda Berna preta e amarela forte para meu deleite.

Pena que não tenho 3 estômagos para poder provar tudo que estavam oferecendo na feira, muitas barracas não podemos visitar mas agradaram muita gente como as barracas da Paula Labaki, Henrique Fogaça, René Aduan o “Pala”, Janaína Rueda, Alex Caputo, Rolando Massinha, e tantos outros que fizeram deste o maior evento gastronômico de São Paulo.

O Mercado – Festival Gastronômico das Estações
16 de Junho de 2013
Modelódromo – Parque do Ibirapuera – São Paulo

andreleiras

Cozinheiro, blogueiro e viajante!!! Amo viajar, gastronomia e tudo que a vida tem de bom!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *